quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Todos querem sorrir

Turismo é o Negócio da Felicidade, defende o livro (editora SENAC SP) do especialista em marketing turístico, Josep Chias (cosultor do Plano Catarina/SANTUR) com uma centena de planos de promoção de destinos assinados pelo mundo, inclusive o da Espanha, sua terra natal, e o Aquarela, da Embratur. Chias prevê um futuro para todos aqueles que desenvolvem o turismo com a adesão da comunidade, dos micro e pequenos empresários do ramo, esmagadora maioria, e do poder público também. Os turismólogos defendem os "diálogos entre a atividade econômica e a sociedade no entorno". São debates com a sociedade para que o turismo no cotidiano das pessoas que moram nas rotas dos vajantes não seja um problema social, quando deveria ser solução. Nesta quarta (18/11) o Cine Favela mostra o  documentário "Cinderelas, Lobos e um Príncipe Encantado”, de Joel Zito Araújo sobre turismo sexual, pedofilia e racismo. O tema entra em debate logo após a eixibição do doc (19:30) no  Centro de Filosofias e Ciências Humanas – CFH - da UFSC. Na quinta (19/11) será na penitenciária feminina de Forianópolis (15:00) e no Curso de Cinema da Unisul, em Palhoça (19:30).
No Brasil e no exterior mulheres “buscam uma vida melhor” ou a "segurança" com um "marido europeu." Zito trabalha sobre a realidade de 900 mil pessoas traficadas pelas fronteiras internacionais a cada ano, exclusivamente para fins de exploração sexual. Apesar de todos os perigos, "jovens mulheres brasileiras, de maioria negra, ao entrar no mundo do turismo sexual acredita que vai mudar de vida e sonha com o príncipe encantado." O filme passa pelo Brasil e Europa " buscando entender os imaginários sexuais, raciais e de poder das jovens cinderelas do sul e dos lobos do Norte." Joel Zito, autor e diretor dos filmes A Negação do Brasil (vencedor do É Tudo Verdade 2001) e Filhas do Vento (premiado oito vezes no Festival de Gramado) faz documentários desde 1988, é autor dos livros A Negação do Brasil - o negro na telenovela brasileira e O Negro na TV Pública (no prelo), autor de vários artigos sobre a mídia e o tema racial no Brasil e doutor em Ciências da Comunicação pela ECA / USP.
Com infos do Cine Favela

Um comentário:

Bembi disse...

Pude eu me achar nisso que sou agora
Melhor será dizer aqui bem onde estou
Sei que não sou nada que possa durar
Mas me reconheço e sei mudar
E isso é bom...

Perco o endereço mas tenho atenção
Pra me dar suporte, sempre um eixo
Às vezes apresso o passo e caio em confusão
Mas já não cultivo meus tropeços
OS THE DARMA LÓVERS, Gigante

Tu cantou essa música e eu a ví no blog do Tomato.
amo esses caras, que musga lenda, negaaa

beijo, sua querida tuda de boa!